Follow by Email

sábado, 31 de outubro de 2015

Prefiro assim!

A Feira do Livro este ano está estranha... Achei mais básica, mais simples... Sim, estava acostumada a um mega, ultra evento com trocentas barracas disputando a minha atenção. Uma penca de gente brigando para "escolher" os livros e muitas empresas e instituições promovendo suas marcas naquele que devia ser um espaço cultural.
Hoje, consegui chegar nas bancas com mais calma. Consegui respirar os livros e curtir mais a atmosfera da Praça. Claro que estamos no meio de um feriado, que o clima está ameno e que a crise econômica abalou até a cultura, mas confesso: eu prefiro assim.
Como acredito que nada é em vão, talvez a mudança seja providencial! Está na hora de voltarmos a dar a importância pra leitura de verdade. Aqui em casa, por exemplo, separamos livros infantis que foram doados para a Biblioteca Moacir Scliar e, com uma avaliação criteriosa, fizemos nossas escolhas muito mais conscientes.
Bem, voltaremos ainda mais algumas vezes durante os próximos quinze dias mas, que essa impressão seja de fato, uma retomada aos valores culturais que sempre nos orgulharam tanto ...


Hoje, tranquilidade para escolha dos livros

Livros infantis"quase sem texto" são maioria nas bancas 

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Consumo Consciente!

Tive a oportunidade de usar roupas de primos na minha infância. Era um troca-troca maluco. Naquela época não tinha frescura. Era menina usando roupas de menino e vice-versa...
- Roupa nova era só pra festa, dizia minha mãe.
O meu trio está acostumado com empréstimos, doações e trocas. Eles já conseguem perceber quando não dá mais pra usar o tenis novo que ficou apertado ou a calça que não fecha mais na cintura e tem que passar adiante. Mas confesso que quando eram menores, muitas vezes não tinha pra quem passar. As roupas eram novas! Além disso, cadeirinhas de carro, bebê conforto, carrinhos.... Meio que tudo foi ficando inutilizado, esperando nova crianca na familia... Sei lá!
Bom, mas acho que de maneira amadora fui encaminhando as coisas sem que ficassem destruídas. Acho que deve ser a realidade da maioria das mães....
Mas a notícia boa é que achei um local que de forma profissional compra, vende e troca as coisas dos meus filhos que "não cabem mais". Ecobrechó Infantil é o nome e fica na Zeferino Dias, número 13 em Porto Alegre... Na semana passada, contei pra uma amiga que tinha horrores de roupas deles de inverno e ela me indicou a loja. A avaliação é justa e são peças criteriosamente escolhidas. Achei show de bola. Quem quiser dar uma olhada, acho que vale a pena!!!!!!! Troquei um monte de coisas legais.

Abaixo o Link da Fanpage
Ecobrechó Infantil


domingo, 25 de outubro de 2015

Mais coruja do que nunca!

Estávamos preparando os condimentos pra janta na cozinha, eu e a Helena, quando ecoa aquela voz docinha e segura do fundo do quarto:

- Alguém sabe por que eu sou tão linda e maravilhosa? KKKKKK, Alice, mostrando que não veio ao mundo a passeio, explicitou sua modéstia.

- Claro que sei, - gritou a Lelê se impondo aos segundos silenciosos mais constrangedores que uma mãe de gêmeas leoninas pode consentir. 
- Porque tu é minha irmã! - devolveu a moreninha num tom muito confiante, típico jeito Helena de ser.


KKKKK...........

Enquanto isso, eu mais coruja do que nunca, só posso concluir que a genética da galera aqui em casa tá em alta. Autoestima de verdade é coisa de família!! RSRSRS



sábado, 24 de outubro de 2015

Feminista

As gurias me perguntaram dia desses o que era ser feminista. Achei a pergunta estranha e, antes de responder, quis saber qual a motivação da curiosidade.
- Um menino do sexto ano "xingou" a colega dele no recreio, mãe.
Hummm, refleti.
- E porque ele "xingou" ela dessa forma?
- Eles estavam brigando... Ela tinha uma opinião diferente sobre a brincadeira.
Nossa!! Fiquei impressionada com a história.
- Gurias, ser feminista é "apenas" a busca pelo tratamento igual entre meninas e meninos, não deveria ser xingamento. Elas concordaram comigo e já raciocinando, Alice assumiu:
- Quando eu crescer, quero ser feminista.
-Tá bem Alice. Te apoio, respondi orgulhosa da conclusão dela.
Não menos madura, em seguida, a Helena arrematou a reflexão:
- Eles podem pensar diferente, né? Não precisava brigar. Porque não combinam as coisas como a gente faz aqui em casa com o mano?

Sem querer ir além da corujice, que fique bem claro: eu acredito num mundo melhor!


terça-feira, 20 de outubro de 2015

O desafio da leitura

Acabo de ler uma matéria da Folha de São Paulo muito legal sobre a importância da leitura no desenvolvimento infantil. O texto diz, inclusive, que os pediatras devem "receitar livros" para crianças entre zero e seis anos de idade.
Acho que seguindo minha intuição, porque não tinha o conhecimento de todos os benefícios, sempre li pro meu trio. Até mesmo na barriga, antes do nascimento, gostava de ler textos em voz alta pra eles. Bem, o fato é que escolhi o momento de antes de dormir pra criar o habito e parece que deu certo. Até hoje, costumamos fazer leituras coletivas de determinadas obras.
E pude perceber a importância desses momentos quando, dia desses, as gurias foram participar de mais uma "festa do pijama". Ao invés de escolherem o travesseiro favorito ou o ursinho de pelúcia para servir de apoio na hora da ansiedade de estar fora de casa, optaram por levar o livro que estávamos lendo em conjunto. Sim, muito orgulho! Caso fosse necessário, ambas combinaram de reproduzir o momento de leitura na casa da amiguinha...
Entendi que a experiência, a rotina e tudo que ela proporciona garantiu a tranquilidade. Com certeza, os livros continuarão dando a elas a segurança necessária para enfrentarem todos os desafios da vida...

Aqui o link da matéria...
 Campanha pede que pediatras de todo o país 'receitem livros' para crianças

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Um santo remédio!!!!

Nossa, a maternidade é algo! Aprendi e continuo aprendendo horrores.
Claro, cada experiência tem o seu tempo e as oportunidades vem. Pode acreditar.
Amigdalite, por exemplo, é rotina aqui em casa. É chato, mas segundo a otorrino, as alergias produzem secreções que facilitam muito as infecções. Sim, é duro. Mas a nossa realidade é essa.
Bem, por indicação de um vizinho natureba implantamos o Própolis na nossa farmacinha. Quando começa a ficar vermelha já aplicamos um jato na garganta e logo a coisa melhora.
Fiquei surpresa com o resultado!
Já, na última semana um novo problema apareceu: bicho-de-pé. Pois, depois de algumas tentativas com agulhas e pinças esteriliz
adas, resolvi recorrer ao amigo Google!
No link mais popular... adivinha qual o remédio caseiro que atua sem procedimentos doloridos para remover o inseto sifonáptero (Tunga penetrans) da familia dos tungídeos, vulgo bicho-de-pé????????
Sim, o milagroso Própolis novamente!! Basta empapar um algodão e deixar por algumas horas que o tal bichinho nojento pula fora!

Depois de mais essa, todos felizes. Sem dor nem remédios fortes, me resta agradecer!
Como diria minha vó Sissi: Obrigada Senhor!

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Fim do Mundo!!

Hoje estive prestigiando a Feira de Ciências no colégio das crias. Orgulho é a palavra pra descrever o que senti quando vi o trabalho do grupo do Matuco. O tema: Formas de FIM DO MUNDO!

Mateus, Tomás, Thales e Pedro descreveram as clássicas e apontaram várias outras ... Acima de tudo filosofaram, refletiram e questionaram. Com perspicácia e muita inteligência foram brilhantes!
Só isso.

Corujices à parte, o evento devia ficar aberto ao público mais tempo. Foi muito legal.
Parabéns meninos e, se por acaso, não levarem o prêmio, fiquem tranquilos. Com certeza demonstraram sua capacidade de chegar muito além.
Além do FIM DO MUNDO?

Quem sabe...







quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Marcas do tempo!

Não tenho como falar noutra coisa... Os temporais que assolaram o Rio Grande do Sul deixaram marcas. Aliás, claro, tragédia de verdade pra muitos. Nunca tinha visto isso. Casas destelhadas, vento de mais de 100 km (alguns falam em 150 km), perdas totais com alagamentos. Pessoas que lutaram uma vida pra conquistar o mínimo de conforto e de, uma hora pra outra, lá se vai...

Não consigo pensar noutra coisa. A sensação quando o temporal atingiu meu prédio foi de muito medo. Os raios já avisavam que a coisa ia ser feia... E foi muito pior. Granizo batendo nos vidros da sacada e o coração batendo forte. Insegurança, impotência e muita reflexão. Não lembro de ter tido uma sensação de tanta fragilidade nesta vida. Bem, a natureza é isso. Sempre ensinando... deixando marcas.


quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Dias difíceis!

Semana do dia das crianças foi punk! Correria para levar cada um na sua festa... Lembrancinhas compradas e compromissos cumpridos. Ufa, foi. Mas ainda falta cuidar dos que mais precisam!!!
Estamos passando por dias difíceis. São chuvas e mais chuvas que geram verdadeiras tragédias no Rio Grande. Segundo a Defesa Civil são milhares de familias desabrigadas pelas águas. O nível do Guaíba subiu muito e bateu recorde de 74 anos. O pior é que a previsão é de mais chuva pra os próximos dias.
Bom, mas estou divulgando aqui alguns endereços para entrega de doações de produtos de higiene, limpeza, fraldas, cobertas e colchões em Porto Alegre:

- Ginásio Tesourinha (avenida Érico Veríssimo, s/nº ), das 8h às 22h;

Gabinete de Defesa Civil (rua Dr. Campos Velho, 426 ), das 8h às 18h.

Aproveito para deixar o link com informações oficiais.

Nivel do guaiba atinge maior marca em 74 anos

Boletim da Defesa Civil alerta para novas precipitações no Estado

Força-tarefa define novas ações para atender desabrigados
 

Fé em Deus!!! 

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Saudade!


- Mãe, quando eu crescer quero ser como o dindo, voltar só nas festas!!!!
Esse foi o comentário do Mateus em dezembro do ano passado, no aeroporto, quando esperávamos o meu irmão e a familia dele para o Natal e Ano Novo.

Sim, estou com saudades do meu irmão e da família dele... Moram em Vitória, no Espírito Santo, há um tempão e eu ainda não me acostumei a rotina sem eles. Drama da minha parte, diria meu pai. Com a internet e os whats da vida podemos estar sempre em contato.  Mas, não adianta, sinto falta.
Tá, sem lamentações... foi a escolha deles... (sendo racional).
Talvez a distância sirva só pra isso. Pensando bem, talvez o Mateus esteja certo: só nas festas, faz com que a saudade seja mais presente do que devia...




 

 

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Cada um é um!

Quando descobri que estava grávida de gêmeos fiquei muito apavorada! Realmente percebi  que a vida estava me desafiando de verdade. Toda a minha experiência com o primeiro filho era nada, perto do que viria pela frente. Não, não digo que foi ruim. Foi uma benção e com muito amor. Mas, sim, foi difícil, muito difícil! Aliás, ainda é.
O risco maior de uma gestação gemelar, as questões financeiras, as necessidades de auxílio para tudo... Nossa, passou tanta coisa pela minha cabeça naquele momento. Bem, mas o pior eu só fui perceber depois do nascimento delas, quando fomos na primeira consulta das gurias com o Dr. Pereira (foi meu pediatra e agora atende os meus). Ali, ele me deu a lição pra vida toda:
– Cintia, ter mais de um filho é muito mais complicado do que tu pensa. Dinheiro, cuidados, doenças, tudo isso cansa mas, tu tira de letra - falou.
-  Então doutor, o que pode ser mais difícil que CUIDAR de três?
Ele olhou pra mim e, com um olhar muito serio, disse:
- A educação das crianças só será adequada quando assimilares que CADA UM É UM. Veja bem, com o mais velho é mais fácil: menino e com mais idade... Com a chegada das gurias: mesma idade e ambas meninas, a coisa complica. Elas serão diferentes, precisarão de atenção diferente, com personalidades diferentes. Não digo isso só porque são bivitelinas, mas porque precisam ser INDIVÌDUOS.
Sim, parece óbvio. Mas foi exatamente naquele momento que decidi que os dois minutos que separam o nascimento das duas serviria pra alguma coisa.
- Helena é a irmã mais velha e Alice, a caçulinha....

E foi assim que as coisas começaram...

domingo, 4 de outubro de 2015

Marias vitoriosas!!!

Em 2010, logo que comecei a escrever o blog, publiquei um post que até hoje é um dos mais lidos. Conta a experiência que tive quando assumi a função de mãe da minha mãe. Ela foi diagnosticada com câncer de mama e sofreu uma parada cardiorrespiratória na mesa de cirurgia... Além da UTI, coma e muito terror com a possibilidade de sequelas, ela encarou todo o tratamento com aplicações de quimio e radioterapia. Muito punk! Mas o post de hoje não é pra fazer referência as dificuldades que não foram poucas!!!!!!! É pra dizer que ela venceu a luta! É mais uma vitoriosa! Em novembro fará cinco anos e está curada!
Hoje estivemos na caminhada das vitoriosas do IMAMA e, como sempre, é muito emocionante ver quanta energia positiva em prol de uma causa tão nobre!
Força pras gurias que ainda estão sendo diagnosticadas, em tratamento ou esperando o tempo passar para ter a certeza que não voltará mais.
Força, é possível vencer! Rosa é vida e todas somos Marias. Marias vitoriosas!

Aproveito para disponibilizar um link de um vídeo bem legal produzido pelo SESC na Campanha Outubro Rosa que chama atenção para a importância do diagnostico precoce.

video




sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Lógica simples...

Coisa chata esse lance de não saber usar as redes sociais! Conheço um monte de histórias que prejudicaram grupos, amigos e até familias pelo simples fato de não pensar na hora de postar algo....

Acredito que antes de mais nada as crias precisam saber que tem responsabilidade por suas ações. Claro que devem saber disso muito antes de poderem ter perfil nas redes, mas sempre é bom lembrar.

Uma amiga dum colega de trabalho passou por uma situação muito difícil quando sua filha começou a ser ridicularizada na aula porque demorava pra responder as mensagens no whats... A menina, com oito anos era a única da turma a ter acompanhamento da familia e, por incrível que pareça, sofreu bulling justamente porque tinha que esperar um adulto para retornar as mensagens. Neste caso, a escola interferiu de forma positiva. Reuniu os adultos e explicou a importância das manifestações...
Mas, normalmente os pais até estimulam que os filhos fiquem mais independentes e se mantenham "entretidos" com seus smarts...

Achei na internet um esqueminha show de bola (by @mamaedecasa)! Explica como deve ser a postura de todos em comentários. Adultos ou crianças, precisamos pensar bem mais sobre nossas manifestações públicas ...

Espero que seja útil pra vocês também!



quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O que a vó tem com isso?

Ser vó é pra poucos!!! Essa foi a frase que me deixou chocada ontem quando passeava com o Pingo aqui na minha rua. Não entendi... perguntei pro vizinho que andava ao meu lado. -Tu nem sabe. Moro num prédio há duas quadras daqui e semana passada, as crianças que mudaram pro apartamento do lado do meu, começaram a frequentar aula de música.
- Que legal, e o que tem a vó com isso?
- Presta atenção. O pequeno tem aula de flauta no colégio, o que já gera momentos de estress sonoro. Ás vezes, toda família canta ao redor do teclado (que graças ao bom Deus fica na sacada e não ecoa internamente).
- E daí...? Disse eu já quase sem paciência para tanta enrolação.

- E daí que a vó, que mora LÁ na Zona Sul, resolveu ontem à tarde atender ao pedido da professora de guitarra da mais velha. Comprou um amplificador pra guriazinha poder treinar melhor!!!!!!! Ser vó é pra poucos! Um dia eu chego lá e também mudo pra Zona Sul, encerrou ele rumando em direção ao Lar doce Lar.... (RSRSRS)